A Aprendizagem de forma geral envolve diversas esferas, sejam elas sociais, biológicas ou até mesmo cognitivas. Dentro desta abordagem, também existem os Transtornos de Aprendizagem ou Dificuldades de Aprendizagem, que atualmente afetam um número expressivo de pessoas, sendo percebidos, principalmente na infância. Esses distúrbios, de acordo com o DSM-5 (Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais – 5ª Edição) são distintos e podem ser classificados como leves, moderados ou graves, gerais ou específicos, de curta ou longa duração.

Mas, qual é a diferença entre Dificuldade de Aprendizagem e Transtorno de Aprendizagem?

Na Dificuldade de Aprendizagem geralmente o afetado possui uma maneira diferente de aprender, ou seja, muitos possuem um bloqueio que pode ser de causas emocionais, culturais ou cognitivas. A maior parte dos casos de Dificuldade de Aprendizagem pode ser solucionada até mesmo no ambiente escolar, por meio de tratamento psicopedagógicos.

O Transtorno de Aprendizagem por sua vez, está relacionado a um conjunto de dificuldades pontuais e específicos, normalmente ligado a uma disfunção neurológica, ou seja, nesta condição o cérebro pode funcionar de uma forma diferente, mesmo que o indivíduo apresente uma situação física, social ou emocional considerada “normal”. Por exemplo, algumas pessoas apresentam dificuldade em adquirir conhecimento apenas em determinadas áreas, o que não representa incapacidade, já que o Transtorno de Aprendizagem tem tratamento.

Fazer a diferenciação entre Dificuldade de Aprendizagem e Transtorno de Aprendizagem é fundamental, visto que cada um possui origem e causas completamente diferentes, que também demandam abordagens terapêuticas distintas.

Causas do Transtorno de Aprendizagem

Ainda segundo o DSM-5, a origem do Transtorno de Aprendizagem é intrínseca ao aspecto biológico, por se tratar de um transtorno do neurodesenvolvimento. Além disso, a condição pode estar associada a fatores genéticos, ambientais e epigenéticos, o que também afeta a capacidade do cérebro de assimilar as informações tanto verbais como não verbais.

Além de ressaltar que as causas do Transtorno de Aprendizagem podem ser multifatoriais, o DSM-5 preconiza que alguns fatores não podem ser levados em consideração como consequência do distúrbio, por exemplo:

  • Doença cerebral ou traumatismo;
  • Comprometimento visual ou auditivo;
  • Falta de oportunidade em aprender;
  • Mudanças escolares (ocasionando descontinuidade educacional).

Gestação

A fase gestacional é muito importante para o desenvolvimento cerebral do feto. É nesta etapa que também ocorre à construção, conexão, aquisição e a atribuição de significados à aprendizagem. Baseando-se nisso, alguns estudos têm vinculado (lembrando que ainda é apenas uma hipótese) o Transtorno de Aprendizagem ao período da gestação. Desta forma, qualquer aspecto que influencie neste desenvolvimento, está propenso a impactar no surgimento do Transtorno de Aprendizagem, normalmente percebido no período escolar.

Tipos de Transtornos de Aprendizagem

Existem alguns Transtornos de Aprendizagem que são mais comuns, como:

  • Transtorno da Leitura, também conhecido como Dislexia é caracterizado quando o indivíduo possui problemas de identificação no reconhecimento das palavras, decodificação e ortografia;
  • Transtorno de Escrita, como o próprio nome já diz, está relacionado a problemas que abrangem a construção da ortografia e caligrafia;
  • Transtorno de Matemática, tecnicamente conhecido como Discalculia, é quando a criança apresenta dificuldade em entender conceitos relacionados a números, símbolos ou funções necessárias normalmente para a matemática.

Sinais e Alertas

O processo para reconhecer e distinguir o “transtorno” da “dificuldade” pode ser complexo. Porém, alguns sinais que demandam atenção, podem indicar o Transtorno de Aprendizagem. Grande parte das crianças, por exemplo, apresenta um ou mais comportamentos alternadamente relacionados ao aprendizado. Porém, caso eles persistam, é a hora de buscar ajuda profissional, pois somente desta forma, os sintomas poderão ser identificados e definidos como Transtorno de Aprendizagem.

Tratamento

Quando não consegue aprender, geralmente a criança é taxada de preguiçosa, desinteressada e negligente, o que causa grande sofrimento e prejuízos psicológicos. Mas, é importante novamente ressaltar que o Transtorno de Aprendizagem tem tratamento, e que os afetados pela condição, muitas vezes precisam apenas de estratégias individuais, atenção, métodos de ensino adequados, estímulos positivos e tratamento psicológico/psiquiátrico para avançar na aprendizagem.

Por isso, quando houver qualquer suspeita de que uma criança possua um Transtorno de Aprendizagem, o ideal é que o responsável a direcione para uma avaliação diagnóstica multidisciplinar envolvendo diferentes especialistas com formação na área da aprendizagem, como psiquiatras, fonoaudiólogos, psicólogos, neuropsicólogos e psicopedagogos.

Os tratamentos sugeridos podem ser por meio de:

  • Intervenção psicopedagógica;
  • Intervenção fonoaudiológica;
  • Programas educativos especiais;
  • Medicamentos (para casos mais acentuados).

Fazer todo o possível para ajudar um filho nesta condição é natural, mas antes de optar por qualquer tratamento ou por “terapias alternativas”, consulte um profissional capacitado que oriente sobre a melhor forma de tratamento, considerando individualmente o paciente e o tipo de Transtorno de Aprendizagem.

Conheça a Psiquiatria Paulista!

Referências

50 Perguntas sobre TA

file:///C:/Users/Cliente/Downloads/50%20perguntas.pdf

Como diferenciar Transtorno de Aprendizagem de Dificuldade de Aprendizagem?

https://goo.gl/3fX5xP

Dificuldade ou transtorno de aprendizagem. Qual a diferença?

https://goo.gl/iA1kp4

Dificuldades e Transtornos de Aprendizagem

https://goo.gl/xGGXaV

DSM-5 (Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais 5ª Edição)

O que são Transtornos de Aprendizagem?

https://goo.gl/qJdo5C

WhatsApp chat