A saúde mental e a liderança nas empresas

Quando se pensa na figura de um líder, pensa-se em alguém que tem a capacidade de influenciar pessoas. Ele utiliza esta sua capacidade para orientar, direcionar, guiar e incentivar determinado grupo de pessoas, para que, sob a sua liderança possam alcançar seus objetivos.

O líder tem um papel muito importante no funcionamento do estado afetivo de seus liderados e de tudo em seu sistema. Para isto, ele precisa dar atenção a seu próprio estado afetivo, assim como ao estado afetivo das demais pessoas de seu grupo. Ele é quem gerencia a energia do time, a saúde mental da equipe. Não há como não se fazer uma correlação entre a saúde mental de um grupo e a saúde mental de seu líder.

É um desafio para o líder, em um momento em que todos estão suscetíveis a quadros de agravamento da saúde mental, ter cuidado e atenção a um possível sofrimento mental de seus liderados.

O Burnout

O Burnout, ou a Síndrome do Esgotamento Profissional, acontece quando a pessoa apresenta três características essenciais: esgotamento físico e psicológico, perda de prazer no trabalho e uma sensação de distanciamento da realidade.

As ações de prevenção ao Burnout devem ser orientadas pelo líder para o dia a dia de cada trabalhador: é importante ter horas de sono adequadas ao descanso, pensar em reduzir estímulos, escolher os conteúdos que são consumidos, dentre outras ações diárias. Apesar de termos um cérebro incrível, nossa capacidade é limitada. Cada pessoa deve ter consciência do seu limite individual e ajustar as entregas de resultados.

O líder também precisa ter esta percepção, para que as pessoas da sua equipe não se desestruturem. Depois de um Burnout, ainda que a pessoa retorne ao trabalho, o nível de produtividade geralmente não é o mesmo que existia anteriormente. 

O impacto da depressão nas empresas

A depressão é o maior causador de incapacidades, inclusive no trabalho. Uma pessoa deprimida muitas vezes não consegue funcionar bem no dia a dia. A Organização Mundial da Saúde (OMS) realiza a medição de um índice relacionado aos anos de vida vividos com qualidade. A depressão impacta muito neste sentido, ou seja, uma vida vivida por uma pessoa depressiva não tem a mesma qualidade de uma pessoa saudável.

Além disso, a depressão é uma das maiores causas de suicídio. Em média, em países desenvolvidos, de cada cinco pessoas sofrendo de depressão, somente uma recebe tratamento. Em países de baixa renda, de cada 25 pessoas, uma recebe tratamento.

Em países como o Brasil, 15% da população sofre com algum transtorno mental. Pessoas com transtornos mentais têm a sua vida muito comprometida e quem convive com estas pessoas sabe que, mesmo não sendo contagioso, uma pessoa com transtorno mental contagia o seu ambiente: compromete a família, a vida financeira, os relacionamentos interpessoais, o ambiente de trabalho.

Fique atento aos sinais de transtorno depressivo!

As pessoas também podem ser promotoras da saúde mental em seu ambiente de trabalho. Muitas vezes o fato de prestar atenção aos colegas, às diferenças de comportamento que eles possam ter, pode levar a um diálogo empático, que poderá ajudar esta pessoa.

Para uma melhor explicação, o transtorno depressivo tem duas características principais:

– O humor deprimido: afetos negativos elevados, como tristeza, angústia, pensamentos pessimistas, sentimentos desconfortáveis durante a maior parte do tempo.

– A diminuição da capacidade de interesse, satisfação e, de forma geral, prazer na vida: afetos positivos ficam comprometidos. A pessoa deixa de realizar atividades antes prazerosas.

Uma série de outros sintomas também podem ocorrer, desde a alteração do apetite, passando por lentidão psicomotora, até sentimentos de inutilidade. De forma geral, a energia e a vivacidade da pessoa deprimida ficam mais baixas. O quadro depressivo é bastante frequente e necessita a devida atenção.

O Tratamento

As lideranças devem compreender que a saúde mental precisa ser tratada como prioridade nas empresas. A busca por um ambiente de trabalho saudável, por si só, já proporciona menos problemas com afastamentos e adoecimentos. O líder também deve incentivar que seus liderados cuidem constantemente de suas saúde física e mental.

Por outro lado, caso exista um transtorno psiquiátrico, que ele seja tratado o quanto antes. A adequação de hábitos, psicoterapia e os tratamentos medicamentosos são muito eficientes. Deve-se ficar atento para o fato de que não só os casos mais graves devem ser tratados, mas também todas as condições em que o transtorno se estende por muito tempo, ainda que de forma mais leve.

Caso esteja em sofrimento, ou conheça alguém que esteja nesta situação, como líder ou colega de trabalho, procure buscar ajuda, para si e/ou para a outra pessoa. No Instituto de Psiquiatria Paulista estamos à sua disposição. Para agendar uma consulta conosco, acesse o nosso site. Não deixe para depois!

#main-content .dfd-content-wrap {margin: 0px;} #main-content .dfd-content-wrap > article {padding: 0px;}@media only screen and (min-width: 1101px) {#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars {padding: 0 0px;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars > #main-content > .dfd-content-wrap:first-child,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars > #main-content > .dfd-content-wrap:first-child {border-top: 0px solid transparent; border-bottom: 0px solid transparent;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width #right-sidebar,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width #right-sidebar {padding-top: 0px;padding-bottom: 0px;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars .sort-panel,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars .sort-panel {margin-left: -0px;margin-right: -0px;}}#layout .dfd-content-wrap.layout-side-image,#layout > .row.full-width .dfd-content-wrap.layout-side-image {margin-left: 0;margin-right: 0;} Agendar consulta