Atenção para o burnout, o esgotamento profissional!

A síndrome do esgotamento profissional, ou a referência ao termo mais conhecido atualmente – o burnout – continua a atingir cada vez mais pessoas. Este efeito é global, com grande impacto também no Brasil. Ele já é reconhecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) na Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID).

A síndrome de burnout (do idioma inglês “to burn out”: queimar por completo), foi assim denominada pelo psicanalista alemão Herbert Freudenberger, após constatá-la em si mesmo, no início dos anos 1970. Eledescreve o estado de exaustão intenso e prolongado da pessoa em relação ao seu trabalho. E este estado acaba por levar a pessoa a uma situação conjunta de desgosto, cansaço e desencanto, afetando profissionais das mais diversas áreas.

Causas do esgotamento profissional

A principal causa para se chegar a uma situação de esgotamento é justamente o excesso de trabalho. As longas jornadas dedicadas ao trabalho, o volume de tarefas a serem cumpridas, o estresse por se tentar concluir tudo a tempo – e ainda, uma grande expectativa criada (muitas vezes pela própria pessoa) tornam a situação intolerável em muitos casos.

Invariavelmente, há muito envolvimento emocional do indivíduo, e por outro lado, ambientes tóxicos, muito competitivos e/ou de muita responsabilidade. Anteriormente, o burnout acontecia muito frequentemente com profissionais que exerciam trabalhos sob pressão intensa, como médicos, enfermeiros, policiais, bombeiros, professores, dentre outros.

Atualmente, porém, outros profissionais passaram a desenvolver o burnout em muitos diferentes segmentos e áreas. O fato de se estar em uma situação de trabalho muito difícil, na qual a pessoa possa achar, por algum motivo, não ter capacidade suficiente para cumprir o que deveria, já pode gerar um estresse. Este estresse pode chegar a se tornar um burnout, que por sua vez pode desencadear um estado de depressão profunda. Por isto, os sintomas devem ser levados a sério e tratados a tempo.

Sintomas

O esgotamento profissional envolve sofrimento psicológico, nervosismo, irritabilidade, cansaço excessivo, alterações de humor, negatividade constante e outros sintomas físicos, como dores de cabeça, alterações no apetite, dores musculares, taquicardia e pressão alta. O estresse e a falta de vontade de sair da cama ou de casa, quando constantes, podem indicar o início da doença.

Estes sintomas, em geral, surgem de forma leve, mas tendem a piorar com o passar do tempo. Muitas pessoas acham que pode ser algo passageiro. Também existe o estigma de que pode ser apenas cansaço e a própria pessoa pode se cobrar, pensando não ter a produtividade que gostaria. Tudo isto deve ser avaliado por um profissional o mais breve possível, para que os sintomas não evoluam.

Tratamento

O tratamento da síndrome de burnout pode durar alguns meses e deixar a pessoa afastada do trabalho por um certo período (se necessário). Ao voltar ou continuar trabalhando simultaneamente à psicoterapia, uma melhora significativa deve ser sentida de forma gradativa, gerando: mais confiança e rendimento, mais tranquilidade e sensação de bem-estar, bem como a ausência dos sintomas físicos.

O tratamento pode envolver medicamentos (antidepressivos e/ou ansiolíticos). Amigos próximos e familiares podem ser um excelente apoio, auxiliando a pessoa a reconhecer sinais de que precisa de ajuda. O psiquiatra e o psicólogo são os profissionais de saúde indicados para identificar o problema e orientar a melhor forma do tratamento, para cada caso.

Atenção aos sinais!

Não é difícil encontrar relatos de pessoas que precisaram de atendimento médico de emergência, devido à exaustão causada pelo esgotamento em virtude da síndrome de burnout. 

Por isto, observe-se no seu dia a dia e no desempenho das suas atividades profissionais. Ao notar o aparecimento de sintomas ou atitudes que prejudiquem o seu rendimento e bem-estar, procure ajuda profissional, para não chegar a um alto nível de exaustão, pois a recuperação pode ser mais dolorosa. Dê já atenção e cuide bem da sua saúde!

O Instituto de Psiquiatria Paulista tem grande experiência em diagnosticar e tratar diferentes síndromes e transtornos – incluindo o esgotamento profissional. Agende uma consulta conosco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

#main-content .dfd-content-wrap {margin: 0px;} #main-content .dfd-content-wrap > article {padding: 0px;}@media only screen and (min-width: 1101px) {#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars {padding: 0 0px;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars > #main-content > .dfd-content-wrap:first-child,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars > #main-content > .dfd-content-wrap:first-child {border-top: 0px solid transparent; border-bottom: 0px solid transparent;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width #right-sidebar,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width #right-sidebar {padding-top: 0px;padding-bottom: 0px;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars .sort-panel,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars .sort-panel {margin-left: -0px;margin-right: -0px;}}#layout .dfd-content-wrap.layout-side-image,#layout > .row.full-width .dfd-content-wrap.layout-side-image {margin-left: 0;margin-right: 0;} Agendar consulta