Depressão no trabalho: o que fazer e quando procurar ajuda

A depressão no trabalho é uma das maiores causas de afastamento. Saiba identificá-la e quando procurar ajuda.

Seu trabalho já não tem mais tanta graça para você. Chegar todos os dias, sentar à mesa, ligar o computador e ver os e-mail é algo feito sem tanta motivação e a hora do cafezinho é ansiosamente aguardada. Além disso, você anda perdendo alguns prazos por falta de atenção ou concentração e tem se sentido irritado com algumas coisas.  Esse é o cenário mais comum de quem enfrenta a depressão no trabalho.

É claro que esse é apenas um dos cenários, mas é o mais comum de uma das maiores causas de afastamento do trabalho e que continua a crescer. 

A depressão no trabalho pode surgir por uma série de fatores, que geralmente acumulam-se ao longo do tempo e tornam a situação difícil demais para que o indivíduo consiga lidar com aquilo sozinho.

É normal ficar aborrecido com algumas situações no trabalho, preocupado com alguns prazos e tenso em certas reuniões, mas quando isso vira regra é melhor ligar o sinal de alerta. 

Mas o que pode causar a depressão no trabalho?

Como posto anteriormente, são alguns fatores que, acumulados, levam a esse estado de desânimo persistente por mais de 3 semanas. Determinados ambientes de trabalho e situações constantes podem ser propícias para o desenvolvimento da depressão, indo de uma competitividade desmedida entre os próprios colaboradores, um chefe que é autoritário demais, até o excesso de demandas, pressão, discriminação e outros fatores sérios como o assédio moral e até mesmo sexual.

Assim como se fala em relações tóxicas para descrever relacionamentos em que há abusos constantes e a privação da liberdade do outro, esse conceito pode ser estendido ao ambiente de trabalho, que também pode ser tóxico e provocar sérios danos à integridade da saúde física e mental do trabalhador. 

As relações humanas, de modo geral, podem ser tóxicas e é preciso saber os limites entre o que é considerado aceitável e o que pode virar um problema. Por isso, é importante perceber os sinais da depressão no trabalho para tomar uma atitude antes que a situação se agrave.

Como identificar a depressão no trabalho?

O diagnóstico da depressão no trabalho pode ser delicado e é preciso identificar a origem central do problema e o que contribui para o seu agravamento. A Síndrome de Burnout, por exemplo, é um transtorno mental que ocorre pela sobrecarga no trabalho, que pode fazer com que a pessoa literalmente desligue.

Veja também:
Estresse no trabalho: 15 dicas para manter o controle emocional

Outro ponto a se observar é relativo às outras áreas da vida do indivíduo, para saber se a causa está no trabalho ou se os sintomas apresentados têm origem na vida familiar ou pessoal, por exemplo. Somente um especialista da saúde mental como um psiquiatra e um psicólogo pode ajudar nestes casos.

No entanto, os principais sintomas de depressão no trabalho, são:

  • Procrastinação
  • Irritabilidade ou agressividade
  • Falta de motivação
  • Problemas relacionados à autoestima
  • Dificuldade de concentração 
  • Problemas frequentes na produtividade
  • Crises de choro
  • Cansaço excessivo 
  • Dificuldade nas relações com os colegas de trabalho
  • Dificuldade com a memória e atenção
  • Mudanças no padrão do sono (dormindo pouco ou demais)
  • Alterações no apetite (para mais ou para menos)
  • Dificuldade extrema para tomar decisões

O que fazer ao perceber a depressão no trabalho?

O primeiro passo, sem dúvidas, é procurar a ajuda de um profissional de saúde mental para auxiliar você no processo e, se necessário, receitar medicamentos que possam lhe ajudar na retomada de suas atividades cotidianas.

Concomitante a isso, é preciso prestar atenção no seu ambiente de trabalho e nas relações profissionais, para entender quais são as dinâmicas daquele local e como aquilo pode estar lhe prejudicando. Algumas dessas perguntas podem servir de exercício para reflexão:

  • Será que é o meu setor que me desestimula assim?
  • Tenho problemas com a minha chefia imediata ou com os meus colegas de trabalho? 
  • Não me reconheço na função que estou exercendo? 
  • Sinto que preciso de mais reconhecimento ou valorização? 
  • Será que realmente me encaixo na empresa? 
  • Os propósitos da empresa estão alinhados com os meus?

É bom lembrar que todo o processo de tratamento da saúde mental, inclusive na depressão no trabalho, passa pelas etapas de reconhecimento, identificação, preparação, ressignificação e início para a mudança. Algumas atitudes podem ser tomadas de forma mais espontânea, outras podem levar mais tempo.

Em alguns casos, a mudança de setor já é bastante benéfica. Noutros, mudar de empresa pode ser uma alternativa, por exemplo. A escolha dependerá da realidade de cada pessoa.

O que posso fazer para evitar a depressão no trabalho?

Prestar atenção em si em todos os aspectos da vida é muito importante, principalmente no trabalho e nos relacionamentos, que são as esferas mais presentes em nossas vidas.

Para isso, alguns exercícios podem ser interessantes a fim de manter a sua saúde mental em dia. Observe as reações do seu corpo e sinta-as. Saia para dar volta no meio do trabalho, preste atenção na sua respiração e realize atividades que permita a sua reconexão interior. Da mesma forma, pode ser importante definir bem seus próprios prazos e metas, para não ficar prisioneiro dos planos do outro e muito menos da procrastinação ou desorganização – isso só gera mais angústia e ansiedade.

Mesmo assim, pegue leve consigo mesmo e reconheça seus limites. Desafiar-se e sair da zona de conforto é importante para crescer, mas também devemos respeitar o nosso tempo de florescer e pedir ajuda nesse processo pode ser um grande ato.

Reflita sobre o seu trabalho, suas habilidades, atitudes e situações, a fim de perceber-se no seu momento de vida e conciliar o ganho financeiro com as atividades que lhe tragam prazer ou que envolvam suas principais habilidades.

Aceitar ajuda é um passo no crescimento

Todos queremos ser a melhor versão de nós mesmos e isso, para algumas pessoas, pode envolver o destaque profissional. Mas é importante lembrar que antes do profissional, existe a pessoa, que precisa de boas horas de sono, boa alimentação e cuidados com a sua saúde mental. Quando não conseguimos sozinhos, podemos sempre pedir ajuda a um profissional. E nós do Instituto de Psiquiatria Paulista estamos aqui para ajudar você, quando você precisar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

#main-content .dfd-content-wrap {margin: 0px;} #main-content .dfd-content-wrap > article {padding: 0px;}@media only screen and (min-width: 1101px) {#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars {padding: 0 0px;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars > #main-content > .dfd-content-wrap:first-child,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars > #main-content > .dfd-content-wrap:first-child {border-top: 0px solid transparent; border-bottom: 0px solid transparent;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width #right-sidebar,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width #right-sidebar {padding-top: 0px;padding-bottom: 0px;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars .sort-panel,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars .sort-panel {margin-left: -0px;margin-right: -0px;}}#layout .dfd-content-wrap.layout-side-image,#layout > .row.full-width .dfd-content-wrap.layout-side-image {margin-left: 0;margin-right: 0;} Agendar consulta