Depressão severa: como é estar neste estado

O que torna uma depressão severa? Todo adulto já se sentiu muito triste em algum momento da vida, seja por que terminou um relacionamento, perdeu um emprego ou por que perdeu algum ente querido… E, de fato, essas dificuldades da vida afetam as pessoas de formas diferentes. No entanto, quando posso chamar uma tristeza de depressão? E uma vez que eu tenho depressão, o que a torna uma depressão severa? Entenda tudo sobre aqui.

Depressão x Tristeza 

O que é tristeza?

A tristeza é um sentimento natural e necessário para elaborar perdas ou outras causas – e costuma ser um sentimento mais duradouro do que a felicidade. Ainda assim, é um sentimento passageiro e não deve tornar a pessoa apática às atividades que lhe geram prazer por tempos prolongados. 

O que é depressão?

A depressão propriamente dita é uma doença que exige diagnóstico médico e que merece tratamento. Apesar de existir diferentes tipos de depressão, os sintomas comuns incluem um humor persistentemente deprimido, perda de energia e perda de interesse e prazer (anedonia), afetando as atividades sociais e ocupacionais de quem é acometido.

Sintomas da depressão

Os sintomas depressivos incluem:

  • Humor deprimido;
  • Humor ansioso ou irritável;
  • Perda de interesse e prazer (anedonia);
  • Perturbações do sono;
  • Sentimento de culpa excessiva;
  • Dificuldade de concentração;
  • Perda de energia;
  • Ideação suicia;
  • Alterações na libido;
  • Alterações na apetite;

As classificações da depressão

A depressão clássica é geralmente classificada entre as seguintes formas da doença:

Transtorno depressivo maior

Caracterizado pela presença de pelo menos 5 sintomas depressivos e pode ser classificado em leve, moderado ou grave.

Transtorno depressivo menor ou subliminar

Caracterizado pela presença de 2 a 4 sintomas depressivos – sendo humor depressivo ou anedonia um deles – com duração maior que 2 semanas.

Transtorno depressivo persistente ou distímico

Caracterizado por pelo menos 2 anos de 3 ou 4 sintomas distímicos mais presentes no dia-dia do que ausentes. Sintomas distímicos incluem humor depressivo;  alteração de apetite; alterações do sono; baixa autoestima; baixa concentração e desesperança.

Conhecendo a depressão severa

 

 

Portanto, quando falamos de depressão severa, geralmente nos referimos ao Transtorno Depressivo Maior do tipo Grave. Apesar de poder se instalar de forma súbita, esse quadro geralmente é precedido por quadros mais leves, mas que não são prontamente reconhecidos e tratados – aí a importância de se buscar ajuda profissional em momentos de tristeza profunda e dificuldade de sentir prazer.

A depressão severa ou grave impacta de forma profunda a qualidade de vida das pessoas de quem acomete, assim como das pessoas com quem ela se relaciona – e ainda é uma das possíveis causas de redução de expectativa de vida. Nesses casos, mesmo atividades “banais”, como manter a higiene pessoal (escovar os dentes, tomar banho, escovar os cabelos etc.) pode ser super difícil de ser colocada em prática. Acordar e levantar da cama pode perder o sentido, pois a pessoa acometida por uma depressão severa não sente mais prazer em qualquer ação cotidiana e todo mínimo esforço gera um cansaço profundo.

A dificuldade maior nesses casos está na tendência dessas pessoas a não buscar ajuda. Geralmente os quadros severos cursam com isolamento social e abandono de tratamento. Por isso, as tendências suicidas são maiores, assim como o consumo excessivo de medicações, álcool ou outras drogas como forma de buscar alívio imediato do sofrimento.

Além disso, nos quadros de depressão severa é possível o aparecimento de sintomas psicóticos, como alucinações visuais e/ou auditivas. Ou seja, a pessoa pode ouvir ou ver coisas que não são reais, o que agrava o risco de suicídio ou de causar dano a si mesmo.

Vamos falar sobre isso?

A tristeza é um sintoma útil e necessário na vida de todo o ser humano, porém quando desenvolvemos uma depressão severa estamos enfrentando um desajuste neuroquímico altamente prejudicial para a nossa saúde e segurança. Conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), 15 a cada 100 pessoas que sofrem de depressão decidem cometer suicídio. Porém, a OMS também afirma que, se diagnosticada e tratada nos estágios iniciais do transtorno, 60 a 80% dos casos de depressão são controlados e/ou curados.

Portanto, saber reconhecer e buscar ajuda profissional em momentos de tristeza profunda é fundamental, assim como devemos estar atento e aberto às pessoas no nosso entorno que apresentam sintomas como os citados acima. A depressão severa ainda é a principal causa de suicídio e pode ser tratada com medicação e psicoterapia.

Atenção: Apesar de ser uma doença tratável e que exige o diagnóstico médico, o estigma e preconceito existentes sobre os transtornos de saúde mental ainda levam as pessoas a negligenciar os sinais de depressão ou escondê-los dos seus amigos e familiares. Entretanto, além do tratamento médico e psicológico, o amor e o incentivo dos amigos e familiares são imprescindíveis para o sucesso. A paciência e o amor contribuem para que as pessoas enxerguem valor e propósito na vida.

Você se sente muito triste? A ponto de perder prazer nas suas atividades diárias? Ou conhece alguém que se sente assim? Não deixe essa tristeza se transformar em um problema maior na sua vida. Não hesite em buscar ajuda profissional.  Você pode marcar uma consulta online através do nosso site. Basta clicar aqui. Conte conosco!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

#main-content .dfd-content-wrap {margin: 0px;} #main-content .dfd-content-wrap > article {padding: 0px;}@media only screen and (min-width: 1101px) {#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars {padding: 0 0px;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars > #main-content > .dfd-content-wrap:first-child,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars > #main-content > .dfd-content-wrap:first-child {border-top: 0px solid transparent; border-bottom: 0px solid transparent;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width #right-sidebar,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width #right-sidebar {padding-top: 0px;padding-bottom: 0px;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars .sort-panel,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars .sort-panel {margin-left: -0px;margin-right: -0px;}}#layout .dfd-content-wrap.layout-side-image,#layout > .row.full-width .dfd-content-wrap.layout-side-image {margin-left: 0;margin-right: 0;} Agendar consulta