O estresse pode evoluir para doenças graves

No início dos anos 2000, uma série de revistas já alertavam que o estresse seria o mal do século. Com a vida agitada nas cidades e a busca insaciável por uma vida com mais conforto material, as pessoas acabaram entrando num espiral perigoso que pode aumentar muito os níveis de estresse. Isso pode trazer consequências graves para o corpo e a mente.

Hoje, vemos que essa previsão se confirmou e o fenômeno do estresse evoluiu para o crescimento de uma série de doenças mentais com consequências devastadoras, como a ansiedade e a depressão. No entanto, é importante que se trabalhe na prevenção, observando os primeiros sinais de estresse, e aprendendo a lidar com eles antes que problemas maiores surjam.

O que é o estresse?

O estresse é fruto de uma reação natural do organismo humano quando se sente ameaçado. O efeito aos nossos ancestrais era benéfico, pois adrenalina era liberada em uma situação de encontro com um animal feroz, por exemplo, promovendo uma reação mais intensa e forte para a fuga ou enfrentamento.

O problema do estresse hoje em dia, é que o ser humano sente-se preso em situações que não consegue mudar e a pressão para atingir os objetivos de vida e carreira, intensifica-se. Sem ter uma válvula de escape, essa tensão gerada pelo estresse fica retida no corpo e pode se manifestar de formas extremamente maléficas quando experienciado cotidianamente.

Como o estresse pode evoluir para doenças mais graves?

Uma situação que gere estresse, seja ela qual for, provoca uma série de reações físicas no corpo, como o aumento do batimento cardíaco, da pressão sanguínea e da tensão muscular. Isso tudo, junto à liberação de cortisol no sangue. O Cortisol, produzido em excesso, provoca cada vez mais tensão, e com a correria da vida urbana, os momentos de relaxamento são cada vez mais escassos.

Um longo período de estresse constante pode levar a doenças como a depressão e a ansiedade – o que tem sido cada vez mais comum. Além disso, doenças cardiovasculares, dermatológicas e até odontológicos em razão do bruxismo, podem surgir. O estresse, quando não identificadas as suas causas e tratado, traz consequências gravíssimas ao corpo e à mente.

estresse doencas

Identificando os agentes estressantes e prevenindo o estresse

Para prevenir o estresse, é muito importante que se identifique os agentes estressantes. Esses agentes, podem ser variados de acordo com cada pessoa e situação. Até mesmo porque há pessoas que conseguem lidar melhor com determinadas situações do que com outras.

Os agentes estressantes podem ser o trânsito, o trabalho, uma impossibilidade, dificuldades financeiras, por exemplo. Também é importante salientar que traços de personalidades salientes, junto a determinadas situações, podem acarretar em maior estresse. Um exemplo disso, é uma pessoa perfeccionista que trabalha em um local desleixado. Por mais que ela tente fazer o seu trabalho da melhor maneira, ele não será continuado como ela gostaria e isso pode gerar uma insatisfação constante, levando a um aumento cíclico do nível de estresse.

Portanto, uma vez identificados os agentes estressantes, é importante orientar-se para livrar-se deles. Mudar de emprego ou ir ao trabalho de bicicleta ao invés de ficar preso no trânsito, por exemplo, podem ser alternativas que ajudem a reduzir o estresse. A ajuda de um psicólogo ou um psiquiatra também pode ser de grande valia, uma vez que estes profissionais são altamente capacitados para ajudar o paciente a identificar as situações e orientar seus pacientes sobre possibilidades de ação em relação aos problemas que eles enfrentam.

Procurar um estilo de vida mais saudável, com uma alimentação equilibrada e a prática de exercícios físicos também é importante. Há certos alimentos que ajudam no alívio da tensão e o exercício físico ao ar livre é uma atividade poderosa para reduzir o estresse.

A Psiquiatria Paulista pode ajudar você

Se você sentir que está passando por uma situação muito difícil e que o estresse está prejudicando a sua vida por ser constante e intenso, não deixe de procurar ajuda profissional. O psiquiatra ou o psicólogo, podem ser cruciais para que o estresse seja controlado e não evolua para doenças mais graves. Se precisar da gente, pode falar conosco por aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

#main-content .dfd-content-wrap {margin: 0px;} #main-content .dfd-content-wrap > article {padding: 0px;}@media only screen and (min-width: 1101px) {#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars {padding: 0 0px;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars > #main-content > .dfd-content-wrap:first-child,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars > #main-content > .dfd-content-wrap:first-child {border-top: 0px solid transparent; border-bottom: 0px solid transparent;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width #right-sidebar,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width #right-sidebar {padding-top: 0px;padding-bottom: 0px;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars .sort-panel,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars .sort-panel {margin-left: -0px;margin-right: -0px;}}#layout .dfd-content-wrap.layout-side-image,#layout > .row.full-width .dfd-content-wrap.layout-side-image {margin-left: 0;margin-right: 0;} Agendar consulta