Estresse no trabalho: 15 dicas para manter o controle emocional

Até o trabalho você percorre cerca de 2 horas de trânsito, sente-se espremido, sem espaço e o barulho da cidade penetra em seus ouvidos. A chegar, uma pilha de demandas, alguns colegas que gostam de puxar o tapete, um chefe abusivo que sempre pede tudo para ontem ou até mesmo você se cobrando que precisa ser mais eficiente para conseguir um salário melhor, uma promoção ou apenas dar conta de tudo que precisa.

Qualquer um desses fatores, isolados ou somados, é a receita para o aumento da insatisfação e do estresse no trabalho. Com isso, você se sente irritadiço, desanimado, indisposto e quando volta para casa, simplesmente não quer fazer mais nada a não ser comer e gastar um tempo à toa para começar tudo novamente no dia seguinte. O pior é que a causa do estresse é tão relacionada ao trabalho no mundo moderno que é praticamente impossível dissociar as duas coisas.

Então você se pergunta o que está acontecendo com a sua vida, por que ainda está onde está e por que tudo parece ser tão injusto. Os problemas começam a aparecer em sua vida pessoal: seus amigos notam, sua família ou companheiro/a sentem-se incomodados ou preocupados com você e isso está gerando o caos na sua vida por causa do estresse no trabalho. E você não sabe muito bem o que fazer nem para onde ir para manter o seu controle emocional. Mas vamos te ajudar.

Como o estresse age no nosso corpo?

O estresse é uma reação natural do corpo, impulsionada por um conjunto de fatores e liberação de hormônios que nos preparam para uma ação física. Isso vem conosco desde a pré-história e temos a mesma reação para problemas modernos como o estresse no trabalho.

O batimento cardíaco acelera, a respiração fica mais ofegante as veias e pupilas dilatam e você fica num estado de tensão, como se estivesse preparado para atacar. No entanto, toda essa energia física não é utilizada e o cortisol, hormônio do estresse que possibilita a liberação de adrenalina, fica ‘bagunçando’ o nosso corpo. 

O resultado: irritabilidade, insônia, pensamento acelerado, movimentos ansiosos e até alguns sintomas mais impactantes.

Isso significa que toda essa energia produzida precisa ter a sua origem controlada ou ser extravasada de alguma forma. Mas como? Já vamos explicar. Antes, é bom entender o que mais o estresse no trabalho pode fazer com você.

Quais as complicações do estresse?

O estresse no trabalho, quando sentido por longos períodos sem uma ‘trégua’, pode levar a doenças graves, como a ansiedade, depressão ou até mesmo a síndrome de burnout. Além disso, alterações físicas podem ser sentidas no seu corpo, como insônia, bruxismo, mudança de apetite e libido, queda de cabelo, problemas intestinais, falta de atenção, dores musculares e até queda na imunidade.

Como diminuir o estresse no trabalho e manter o controle emocional?

A boa notícia é que, apesar de parecer um pouco difícil, é possível controlar o estresse no trabalho e manter um melhor controle emocional sobre a sua própria vida. O melhor tratamento para você dependerá do seu estado atual. Para sabê-lo, é muito importante o auxílio de um psiquiatra, que fará o diagnóstico adequado, até mesmo identificando se o seu estresse não evoluiu para outra doença.

Mesmo assim, existem maneiras de diminuir um pouco toda essa tensão. Vamos citar algumas delas separando de acordo com aspectos da vida:

O que você pode fazer no trabalho:

  • Aprender a delegar tarefas para outras pessoas quando possível
  • Manter uma organização do seu tempo em agendas ou calendários
  • Participar da ginástica laboral ou levantar-se a cada hora para esticar-se e olhar para uma parede ou uma planta
  • Ter na sua mesa itens antiestresse, como bolinhas de apertar, brinquedos, plantas ou algo que lhe dê prazer. 
  • Evitar fofocas e discussões com informações que não são úteis
  • Criar conexões saudáveis com os colegas de trabalho e evitar o isolamento social.
  • Estabelecer seus próprios limites na corporação e quanto profissional, o famoso ‘não querer abraçar o mundo’.

O que você pode fazer na sua vida:

  • Testar mudar o meio de transporte: se dirigir te irrita, tente uma bicicleta, metrô ou carro compartilhado
  • Praticar exercícios pela manhã ou pela noite: isso alivia muito a tensão gerada no corpo pelo estresse no trabalho
  • Diminuir a ingestão de bebidas estimulantes como o café e tomar mais chás, principalmente próximo a hora de dormir
  • Evitar celular e televisão ao menos 30 minutos antes de dormir
  • Testar o conforto do seu próprio silêncio
  • Dedicar-se a uma atividade artística ou que você gosta: qual foi a última vez que você escutou um álbum inteiro da sua banda favorita?
  • Procurar ir mais a parques e jardins: o contato com a natureza: isso ajuda a reduzir o hormônio do estresse, os batimentos cardíacos e o ritmo da respiração
  • Ter uma alimentação equilibrada, sem alimentos muito gordurosos ou excesso de carboidrato
  • E, em últimos casos, considerar mudar de emprego ou de carreira.

E sempre, sempre busque a ajuda de um psiquiatra para o diagnóstico e tratamento adequado das doenças emocionais. Quando sentimos dor no corpo, procuramos um clínico e, quando sentirmos aquela dor figurada no peito, o famoso ‘aperto no coração’, procure um psiquiatra. Ele vai ajudar você.

Observe-se e procure ajuda, não deixe para depois

Como você pôde perceber, o estresse pode ser sutil, mas avassalador. No entanto, possui tratamento que pode ser adaptado à sua realidade. Aos primeiros sinais, procure ajuda, você vai estar evitando mais sofrimento no futuro. Se precisar da gente, estamos aqui. É só chamar.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

#main-content .dfd-content-wrap {margin: 0px;} #main-content .dfd-content-wrap > article {padding: 0px;}@media only screen and (min-width: 1101px) {#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars {padding: 0 0px;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars > #main-content > .dfd-content-wrap:first-child,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars > #main-content > .dfd-content-wrap:first-child {border-top: 0px solid transparent; border-bottom: 0px solid transparent;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width #right-sidebar,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width #right-sidebar {padding-top: 0px;padding-bottom: 0px;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars .sort-panel,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars .sort-panel {margin-left: -0px;margin-right: -0px;}}#layout .dfd-content-wrap.layout-side-image,#layout > .row.full-width .dfd-content-wrap.layout-side-image {margin-left: 0;margin-right: 0;} Agendar consulta