Saiba quais os tipos mais comuns de ansiedade

Muito se fala em ansiedade, no entanto, muitas pessoas não sabem que existem vários tipos de ansiedade, que podem acontecer pelos mais diversos motivos. Isso, pois de modo geral ela é um sentimento natural humano, ao mesmo tempo que pode ser sintoma de uma série de transtornos mentais, indo desde o Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) a outros como Síndrome do Pânico e Fobia Social

 

Vamos conhecer um pouco mais sobre ansiedade, o que a caracteriza e os transtornos relacionados a ela?

O que é a ansiedade?

Primeiro, é importante começarmos falando sobre o que é a ansiedade em si, que caracteriza-se como uma reação natural do corpo que ocorre em momentos em que estamos tensos por algum motivo, seja ele racional ou não. 

 

Então, sintomas emocionais e físicos começam a acontecer no nosso corpo, indo da respiração acelerada e taquicardia a pensamentos negativos e sentimento de paralisia. 

 

Ou seja, sentir ansiedade vez ou outra, antes de acontecimentos importantes na sua vida ou até mesmo de um encontro com um desconhecido é normal, mas quando ele é muito frequente e causa sofrimento emocional, é preciso ficar atento.

 

Os sintomas de ansiedade podem se apresentar em 4 grupos: físicos, comportamentais, cognitivos e emocionais, podendo haver eriçamento de pêlos, coração acelerado ou desritmado, frequência respiratória alterada, tensão muscular, irritabilidade, ritmo de fala acelerado, gesticulações exacerbadas, problemas de concentração e de memória, excesso de preocupação, dificuldade de tomada de decisão, problemas para dormir, sentimento de incapacidade, e paralisação, angústia e nervosismo.

 

Veja também:
Ansiedade e compulsão alimentar

Os tipos mais comuns de ansiedade

Agora que já falamos da ansiedade e seus sintomas, vamos explorar um pouco mais os transtornos em que a ansiedade se faz presente de forma intensa, podendo também serem chamados de tipos de ansiedade.

Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG)

O Transtorno de Ansiedade Generalizada caracteriza-se por uma preocupação constante sobre absolutamente tudo em sua vida. Ela não consegue relaxar, pois acredita que tudo pode dar errado a qualquer momento e sua cabeça é invadida por pensamentos negativos cíclicos e de tragédia iminente, parecendo que o pior sempre vai acontecer. 

Os prejuízos do TAG são muito grandes, pois a pessoa sente-se paralisada, sem conseguir realizar suas atividades além de enfrentar problemas para dormir (insônia), dores de cabeça, indisposição, angústia e tensão constante.

Síndrome do pânico

A Síndrome do Pânico pode vitimar uma pessoa por fatores múltiplos, não tendo uma receita certa para acontecer. Geralmente ela vem após algum acontecimento traumático, fazendo com que a pessoa tenha um medo constante e entre em crises quando se depara com os gatilhos – situações que liberam as sensações características do ataque de pânico.

Entre esses sintomas, estão falta de ar, ritmo cardíaco acelerado, tontura, náusea e sensação de morte iminente, ou seja, a pessoa acredita que vai morrer e isso retroalimenta a crise.

Veja também:
O que é a Síndrome do Pânico?

Fobia social

A Fobia Social se dá pela dificuldade extrema de lidar com as interações sociais com desconhecidos ou em lugares que coloquem a pessoa em evidência. O nervosismo e a sensação de desconforto são bastante intensas, pois ela se sente analisada o tempo inteiro. 

 

Em alguns casos, pessoas com fobia social podem ficar tão nervosas que têm ataques de pânico ou crises de ansiedade. Como resultado disso, uma pessoa com esse transtorno de ansiedade vai evitar, ao máximo falar com pessoas desconhecidas ou que ocupem posição de poder ou prestígio; ir em eventos como festas de trabalho ou até mesmo aniversários de conhecidos; atender a telefonemas, discordar de alguém ou expressar o que sente e até mesmo evitará manter contato visual com alguém durante uma conversa.

 

Veja também:
Fobia Social: reconhecendo-a em você ou em alguém próximo

Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC)

O TOC é formado pela junção dos pensamentos obsessivos – ideias, imagens, cenários invasivos, persistentes e recorrentes, minam a cabeça do paciente, e da compulsão, que é caracterizada pela realização de uma tarefa específica de forma automatizada com a necessidade de reduzir a ansiedade causada pela obsessão.

 

Esses ciclos de obsessão e compulsão repetem-se exaustivamente, trazendo sérios prejuízos à rotina de quem o enfrenta, amargando atrasos em compromissos, acumulando problemas na realização de suas tarefas corriqueiras, além de ficar preso em pensamentos com medos completamente irracionais, gerando problemas sociais, profissionais e de saúde.

 

Veja também:
Transtorno Obsessivo-Compulsivo: quem pode ser afetado

Estresse pós-traumático

Quando uma pessoa passa por um evento traumático, que pode ser a perda de forma repentina de alguém por um motivo torpe, um assalto ou um acidente de trânsito, por exemplo, ela pode começar a apresentar sintomas de estresse pós-traumático.

Esse transtorno faz com que a pessoa tenha crises de ansiedade ao lembrar da situação traumática, apresentando falta de ar, taquicardia, sudorese e sensação de medo constante. Geralmente, é um transtorno que costuma passar com o tempo, mas a ajuda de um profissional de saúde mental faz diferença no bem-estar do paciente.

Veja também:
Estresse pós-traumático: o que é isso?

Um médico para todos os transtornos de ansiedade

Os transtornos de ansiedade são inúmeros, apresentando-se das mais diversas formas e por variados motivos. Entretanto, o psiquiatra é o único médico que pode atuar no tratamento eficaz de cada um desses transtornos, através da administração de medicamentos e da indicação de psicoterapia, bem como realizando o acompanhamento da evolução do paciente.

 

Como falamos no início, sentir ansiedade é normal, mas quando isso afeta sua qualidade de vida e lhe paralisa, é hora de buscar ajuda. Não hesite em contar com o psiquiatra nessa hora.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

#main-content .dfd-content-wrap {margin: 0px;} #main-content .dfd-content-wrap > article {padding: 0px;}@media only screen and (min-width: 1101px) {#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars {padding: 0 0px;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars > #main-content > .dfd-content-wrap:first-child,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars > #main-content > .dfd-content-wrap:first-child {border-top: 0px solid transparent; border-bottom: 0px solid transparent;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width #right-sidebar,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width #right-sidebar {padding-top: 0px;padding-bottom: 0px;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars .sort-panel,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars .sort-panel {margin-left: -0px;margin-right: -0px;}}#layout .dfd-content-wrap.layout-side-image,#layout > .row.full-width .dfd-content-wrap.layout-side-image {margin-left: 0;margin-right: 0;} Agendar consulta