As 9 doenças emocionais mais comuns

As saúdes física e emocional são praticamente indissociáveis. Quando há algum adoecimento no corpo, a mente pode ficar comprometida de alguma forma e o mesmo ocorre ao contrário.

Mas como as chamadas doenças emocionais ou psicossomáticas – enfermidades que geram sintomas físicos no corpo – acontecem e quais as principais? É isso que vamos descobrir.

O que são as doenças emocionais?

As doenças emocionais, também chamadas de psicossomáticas, são sintomas físicos causados por algum nível de sofrimento emocional, isto é, quando uma emoção ou sentimento tem a capacidade de gerar ou agravar uma doença ou sintoma no corpo.

Geralmente, as pessoas que possuem doenças emocionais relatam dores ou sintomas em determinada parte do corpo que não são causadas por nenhuma alteração orgânica. Um exemplo comum é uma dor de estômago que parece uma gastrite, mas que é causada por estresse, ou então enxaquecas e dores de garganta agravadas por tensão ou tristeza.

O diagnóstico para as doenças emocionais é feito por exclusão, isto é, o médico primeiro avalia as possíveis causas orgânicas antes da investigação da ordem emocional.

Não há algo determinado que tenha o poder de causar uma doença emocional. Pode ser que algumas pessoas tenham maior propensão que outras, levando em consideração resistência corporal e ambiente de exposição. 

É comum que transtornos mentais como ansiedade, estresse e depressão sejam também a causa de doenças emocionais, como sintomas. Isto ocorre, principalmente, em crianças e idosos, que possuem uma forma diferente de manifestar a depressão, por exemplo, sendo a somatização (adição de doença emocional ou psicossomática) um dos principais sintomas. 

As doenças emocionais costumam surgir nos seguintes momentos:

  • Episódios de sobrecarga no trabalho ou dificuldades na carreira;
  • Problemas de ordem financeira que parecem irresolvíveis;
  • Eventos traumáticos na infância ou na vida adulta;
  • Problemas no relacionamento com a família, parceiro ou amigos;
  • Perda de um ente querido;
  • Como sintoma somático à depressão, ansiedade ou outros transtornos.

Veja também:
Quando o estresse no trabalho pode ser Síndrome de Burnout
Tudo sobre depressão: causas, sintomas e tratamento
Ansiedade: tudo sobre o mal do século

Quais as principais doenças emocionais e seus sintomas?

As doenças emocionais, apesar de seu caráter de manifestação física (no corpo), também podem apresentar sintomas psicológicos, que podem incluir ansiedade, irritabilidade, impaciência, fadiga, cansaço, tristeza, perda de prazer e falta de interesse em atividades diárias.

No corpo, elas costumam aparecer onde há maior vulnerabilidade de acordo com cada organismo, podendo surgir em lugares como garganta, cabeça, estômago, intestino, músculos e região íntima.

Veja as principais doenças emocionais e seus sintomas:

  1. Doenças de pele

Alergias e irritações na pele podem surgir, como brotoejas, vermelhidão e sensação de formigamento ou ardência. A pele também pode vir a apresentar hipersensibilidade ou coceira devido à urticária. Psoríase, rosácea, dermatite seborréica e acne também podem ser de origem emocional, bem como a hiperidrose (suor excessivo).

  1. Problemas estomacais 

Em pessoas com o estômago sensível, sintomas de gastrite podem ser bem frequentes e fortes, bem como o da úlcera. Enjoos e náuseas frequentes ou motivados por picos de estresse e tensão podem surgir.

  1. Desregulações intestinais

As doenças emocionais que afetam o intestino podem promover a prisão de ventre e formação de gases ou diarréia e intestino solto, dependendo da disposição da pessoa atingida.

  1. Infecções de garganta

Em baixas emocionais, a garganta pode ficar mais exposta a infecções por bactérias ou vírus. A sensação de nó ou bolo na garganta, como algo frequente, parecido a uma dor de garganta, também são sintomas.

  1. Prejuízos aos pulmões

A sensação de fadiga pode ser provocada por alterações emocionais que afetam os pulmões, estimulando uma respiração curta, que pode dar falta de ar ou sensação de sufocamento.

  1. Dores de cabeça

A dor de cabeça (cefaléia) tensional tem origem no estresse e ansiedade, podendo ocorrer por várias vezes durante uma semana em momentos de tensão emocional. A enxaqueca também pode vir a ocorrer, aumentando a sensibilidade à luz e som, podendo também provocar enjoo e tontura.

  1. Dores musculares e nas articulações

Quando as doenças emocionais afetam os músculos e articulações, a sensação de cansaço físico pode ser constante, fazendo com que a pessoa apresente dores em áreas como mandíbula, coluna, panturrilhas e braços.

  1. Alterações de coração e circulação

Taquicardia, arritmia e pressão alta podem ser desencadeados por doenças emocionais, provocando dores e sensação de aperto no peito.

  1. Modificações na região íntima

Os homens podem vir a experimentar disfunção sexual (impotência ou dificuldades de manter a ereção), retardo ejaculatório ou ejaculação precoce. Já as mulheres podem apresentar diminuição da libido, alterações no ciclo menstrual, dificuldades para engravidar ou manter uma gravidez.

Às vezes, a dor no corpo é um sinal para a saúde emocional

Ao sentir que algo não está indo bem, seja no corpo ou na mente, procure um médico para investigar as causas dos sintomas. A automedicação pode mascarar graves problemas de saúde, sejam eles de motivação física ou emocional. Capriche no autocuidado através de bons hábitos diários, atenção aos sinais do corpo e da mente e com o médico e a terapia em dia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

#main-content .dfd-content-wrap {margin: 0px;} #main-content .dfd-content-wrap > article {padding: 0px;}@media only screen and (min-width: 1101px) {#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars {padding: 0 0px;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars > #main-content > .dfd-content-wrap:first-child,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars > #main-content > .dfd-content-wrap:first-child {border-top: 0px solid transparent; border-bottom: 0px solid transparent;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width #right-sidebar,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width #right-sidebar {padding-top: 0px;padding-bottom: 0px;}#layout.dfd-portfolio-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars .sort-panel,#layout.dfd-gallery-loop > .row.full-width > .blog-section.no-sidebars .sort-panel {margin-left: -0px;margin-right: -0px;}}#layout .dfd-content-wrap.layout-side-image,#layout > .row.full-width .dfd-content-wrap.layout-side-image {margin-left: 0;margin-right: 0;} Agendar consulta