A gravidez é, muitas vezes, um dos momentos mais especiais na vida de uma mulher e de seu parceiro ou parceira. No entanto, a alegria do início desse momento especial pode começar a desvanecer aparentemente sem motivos. Se isso acontecer, é preciso ficar atento aos sinais, pois pode ser o início de uma depressão na gravidez.

Sintomas silenciosos

Os sintomas da depressão na gravidez são semelhantes ao da depressão que atinge a população geral. Eles podem começar com intensidade fraca e mascarados de uma indisposição ou cansaço normais. O problema da identificação da depressão na gravidez, é que ela pode ser facilmente confundida com os efeitos colaterais causados pela gravidez, podendo ser negligenciado e trazendo riscos ainda maiores para a grávida e seu bebê.

As flutuações de humor e sensibilidade extra ocorrem normalmente na gravidez devido às ações dos hormônios que se intensificam quando a mulher está esperando um bebê. Mas algumas mulheres podem ter esses sinais intensificados e isso deve ser observado. Além disso, a depressão na gravidez costuma apresentar estes sintomas:

  • Problemas alimentares;
  • Distúrbios do sono;
  • Desprazer em atividades antes satisfatórias;
  • Diminuição da libido;
  • Sentimento de culpa;
  • Iminência de pânico.

As pessoas próximas à mulher grávida precisam estar atentas para observar esses sinais e orientar que ela procure ajuda psicológica ou psiquiátrica para evitar danos a ela, à gestação e ao bebê.

A depressão na gravidez e as consequências para o bebê

No país, cerca de 16% das mulheres desenvolvem depressão na gravidez e isso impulsiona a taxa de bebês que nascem prematuros ou com algum problema de desenvolvimento. Além disso, um estudo recente sugeriu que os bebês de mulheres com depressão na gravidez podem apresentar problemas de sono. Apesar desses fatores não serem uma consequência direta, os riscos são muito maiores.

Outro motivo que pode despontar nessas consequências, é o fato de que a mulher depressiva pode alimentar-se de maneira inadequada, não ter o sono devido e não ter os cuidados necessários durante a gravidez, prejudicando diretamente a saúde dela e a do bebê.

O tratamento da depressão em mulheres grávidas

Esse é um assunto delicado, pois os antidepressivos, quando administrados da maneira incorreta, também podem prejudicar ainda mais a saúde da mulher e a do bebê. Por isso, o tratamento com um psiquiatra e o seu acompanhamento devem permanecer, a fim de que se diminuam os sintomas da depressão sem prejudicar a mulher e o bebê. O tratamento requer cuidados ainda mais especiais, por isso, procurar um bom profissional da saúde é fundamental para garantir uma melhor qualidade de vida e uma boa gestação.

Pregnant woman with her husband Free Photo


Assunto sério que requer cuidados

Como é possível perceber, a depressão na gravidez pode ser ainda mais grave, pois pode afetar a vida da mulher e do outro ser que ela abriga, podendo resultar em problemas que podem perdurar um bom tempo. Por isso, o esclarecimento de quem está perto para orientar a mulher e perceber esses sintomas é fundamental para zelar pela saúde de todos. Vale sempre lembrar que não se pode menosprezar a dor de uma pessoa depressiva ou a de uma mulher grávida, pois uma série de fatores podem influenciar na sua resposta ao mundo, tendo em vista que cada um tem uma maneira de enfrentar as situações e que, nesse caso, os hormônios podem intensificar ainda mais os problemas. Portanto, atenção e cuidado é fundamental para que a mulher se sinta segura para prosseguir na gravidez saudável e no tratamento da depressão.

Conte sempre com a gente

A Psiquiatria Paulista está pronta para ajudar você e ao seu bebê em um momento difícil que possam estar passando. Se você vem apresentando sintomas que acredita fugirem do que considera normal, procure ajuda profissional imediatamente. Quando mais cedo a ajuda vier, maiores são as chances de uma gravidez saudável e feliz. Clique aqui para marcar sua consulta.


WhatsApp chat